16 janeiro 2014

S. SIMÃO: Poetas populares da Freguesia

À terra mãe
 Não sei por que te digo
Aquilo que me vai na alma
Se mesmo assim não consigo
Devolver-me a calma

Se todo o fim é o começo
Porque corremos então?
Atrás da tumba e do berço
Da nossa criação.

Dou-me em carne e osso
Em presente me ofereço
Dou-te aquilo que posso
Talvez pouco, te pareço.

João Louro